fbpx
Sem categoria

Apresentando o Disney+

Disney+

Sem dúvidas, a ansiedade coletiva pelo Disney+ tomou conta na última semana e a sua chegada ao Brasil foi o grande assunto das redes sociais. Entre pessoas reafirmando a sua paixão pelo estúdio e aquelas que juram de pé junto (sei!) que não foram marcadas pela Disney, ninguém deixou de comentar a entrada do streaming no território nacional. 

Entretanto, existem aqueles que ainda estão um pouco perdidos, sem saber se vão ou não assinar o Disney+. Então, decidimos organizar um post de apresentação da plataforma para tentar responder possíveis perguntas. Porém, como a chegada do streaming no Brasil ainda é recente, pode ser que a gente deixe passar algo relativo às dúvidas mais específicas.

Logo, a nossa inbox está aberta para esses casos e vocês podem perguntar tudo o que quiserem. Se a gente souber, responderemos na hora. Se não, a gente vai pesquisar e encontrar a resposta. Mas, nesses poucos dias já tivemos que lidar com alguns “problemas” e vamos comentar sobre eles ao longo do texto – assim como falaremos ambém sobre o catálogo da plataforma.

Então, se você quer saber mais sobre o Disney+ antes de dar o seu dinheiro para o Mickey, continue com a gente. Ao longo do post de apresentação nós vamos comentar sobre as nossas impressões enquanto usuárias do streaming de uma forma geral.

Vem com a gente conferir mais sobre o Disney+!

Disney+
Filmes: A Dama e o Vagabundo e Alice no País das Maravilhas

E o que eu encontro no Disney+?

Esse item pode parecer óbvio, mas eu garanto que não é. Além do conteúdo original, carro-chefe do streaming, como The Mandalorian, você vai encontrar muitas surpresas agradáveis no Disney+. Embora algumas produções ainda estejam ausentes (e a gente não tenha muita certeza se vão passar a integrar o catálogo, voltado para um conteúdo familiar), o streaming já chegou ao Brasil com um panorama bem completo do que foi produzido pela Disney até aqui. 

Nesse sentido, o grande destaque são as animações. Entre curtas e longa-metragens, elas cobrem a trajetória do estúdio desde os anos 1920. Então, é possível encontrar todos aqueles clássicos atemporais, que atravessaram gerações e marcaram a vida de muita gente, como as princesas, alguns filmes do Mickey, do Pato  Donald, do Pateta e de outras caras populares e amadas da Disney. Ao longo das nossas listas – a primeira vai ao ar amanhã – vamos comentar a respeito desse segmento específico mais detalhadamente. 

Ainda falando sobre animações, um dos grandes destaques do Disney+ é o conteúdo da Pixar. Todos os filmes que fazem parte da “Teoria da Pixar” (em breve atualizaremos o nosso post, que está linkado no final), também é possível encontrar uma série de curtas, que às vezes funcionam como spin-offs dos longas e acrescentam informações interessantes, além de contarem com alguns easter eggs bem legais. Também é válido destacar a série Garfinho Pergunta, composta por curta-metragens educativos que contam com o personagem apresentado em Toy Story 4 como protagonista. Curtas de outras estrelas da Pixar, como Mike Wazowski, de Monstros S.A, também integram o catálogo do Disney+. 

E além das animações?

Disney+
Filmes: 10 Coisas Que Eu Odeio Em Você e Esqueceram de Mim

Para além desse universo, vocês também poderão encontrar um conteúdo bastante interessante quando se fala a respeito de filmes. 

Entretanto, em sua maioria, eles possuem classificação indicativa livre e são voltados para a família, o que já era esperado, dada a existência do Hulu (streaming adulto da Disney). Logo, títulos que marcaram a Sessão da Tarde e a infância de várias pessoas que cresceram durante os anos 1990 também integram o acervo do Disney+. Entre eles, nós podemos destacar Esqueceram de Mim, Doze É Demais, Três Solteirões e Um Bebê e Inspetor Bugiganga

Fora os filmes para a família, também percebemos uma presença bastante expressiva de comédias românticas, como Vestida para Casar, Nunca Fui Beijada e 10 Coisas Que eu Odeio em Você. Elas, porém, seguem exatamente os mesmos critérios que citamos anteriormente e possuem classificações indicativas de no máximo 12 anos. Entre elas, caso você goste desse “subgênero”, é possível achar vários filmes de Natal. Então, já guardem essa dica para começar as maratonas temáticas.

Marvel? Star Wars? 

Marvel e Star Wars
Filmes: Vingadores: Ultimato e O Despertar da Força

Além disso, a gente não poderia deixar de falar a respeito de dois grandes motivos para que muitas pessoas estivessem esperando a chegada do  Disney+ tão ansiosas: Marvel e Star Wars

Sobre a primeira, é possível destacar que além de toda a saga dos Vingadores e os demais filmes do MCU, a gente ainda consegue encontrar os filmes dos X-Men que foram produzidos pela FOX, e a série animada da década de 1990, que marcou a infância de muita gente. Infelizmente, o longa-metragem Logan não faz parte do catálogo até o momento. Mas ele é a única ausência nesse sentido.

A respeito de Star Wars, primeiramente, temos que citar a Saga Skywalker que, óbvio, está disponível na íntegra e com os seus respectivos spin-offs (Rogue One e Solo). Porém, isso não é tudo o que se tem do universo. Além da já citada The Mandalorian, também é possível encontrar as algumas séries animadas, como Star Wars Rebels e The Clone Wars

E o que mais está disponível na Disney+?

Free Solo e Black Is King
Filmes: Free Solo e Black Is King

Embora a gente não tenha visto exatamente muitas pessoas interessadas nesse ponto específico, também é possível encontrar no Disney+ vários documentários, sejam eles em formato de filmes ou séries, do National Geographic.

Os temas são diversos e alguns estão entre os grandes destaques da plataforma, como é o caso de Free Solo e O Mundo Segundo Jeff Goldblum. Então, mesmo que você não esteja particularmente inclinado a assinar por esse motivo, essa sessão do catálogo pode ser um bônus bem interessante e surpreendente. 

Para finalizar, nós gostaríamos de destacar a presença dos musicais Hamilton e Black is King, que foram bastante comentados no exterior na ocasião dos seus respectivos lançamentos. Só para te deixar com vontade de dar uma chance logo, Hamilton possui 98% de aprovação da crítica no Rotten Tomatoes e Black is King conta com modestos 95%. Pois é.

Impressões gerais sobre o Disney+

Hamilton e Star Wars Rebels
Filmes: Hamlton e Star Wars Rebels

Conforme falamos ainda no início dessa apresentação, o nosso tempo para fazer uso do Disney+ não foi exatamente extenso. Porém, nós temos alguns apontamentos interessantes para fazer a respeito dos dispositivos que possuímos em casa. Vamos começar do mais popular, no sentido de mais utilizado, e chegar até o menos para que vocês possam ter um panorama geral do funcionamento. Mas, de saída, é válido ressaltar que não tivemos grandes problemas.

Em termos de smartphone, um dos que nós possuímos não é compatível com o aplicativo (Redmi Note 7, da Xiaomi). Essa, entretanto, não é a primeira plataforma de streaming a não funcionar nesse aparelho e a Netflix também não pode ser instalada. No nosso outro smartphone (Redmi Note 6 Pro, da mesma marca), o Disney+ funcionou sem nenhum tipo de problema ou travamento. Além disso, a interface fica bastante organizada e não apresenta bugs. 

Partindo para o notebook, encontramos um pequeno problema no que se refere à resolução de tela. Para a que usamos – que é a recomendada -, o Disney+ tem o seu menu lateral cortado. Então, por exemplo, para conseguir clicar na opção de sair do streaming, nós precisamos usar as setas do teclado e ir “às cegas” testando tudo o que está abaixo de “Avisos Legais” para conseguir encontrá-la. Porém, em termos travamentos e bugs ao assistir, também não encontramos problemas.

Disney+ na Smart TV Samsung e no Roku Express

Branca de Neve e Alice No País das Maravilhas
Filmes: Branca de Neve e Alice no País das Maravilhas

Além do smartphone e do notebook, também tentamos fazer uso do Disney+ em duas TVs Samsung. Porém, o aplicativo não estava disponível em nenhuma delas. Ambas são do ano de 2019, mas de modelos diferentes, o que nos fez estranhar um pouco. Afinal, o FAQ da plataforma informava que TVs dessa marca, produzidas a partir de 2016, contariam com suporte para o streaming.

Entretanto, pesquisando mais descobrimos que além do ano de fabricação, as TVs Samsung precisam contar com o sistema operacional Tiezen para que o Disney+ funcione. No caso das duas testadas, o sistema era Orsay. Então, se você ainda não fez a sua assinatura e se importa com esse ponto específico, procure descobrir qual é o seu sistema. Para isso, basta pesquisar no site da marca pelo código de referência da TV (que pode ser encontrado no manual ou na parte de detalhes do sistema do próprio aparelho). 

Por fim, também chegamos a testar o funcionamento do Disney+ no Roku Express. Em suas redes sociais, a empresa já havia afirmado que contaria com o canal (que é suportado também na Roku TV). Porém, ao fazer a busca diretamente pelo menu do Express, não conseguimos localizá-lo. 

Então, deixamos um comentário no Instagram da Roku e uma usuária nos respondeu que conseguiu realizar a instalação procurando por Disney+ no site. Um meio bem fácil de chegar até o canal é procurar diretamente no Google usando as palavras-chaves “Roku Express Disney+”. Então, basta fazer login na conta que você criou ao instalar o aparelho e será possível instalar. A partir disso, o canal ficará disponível no  Roku Express e poderá ser usado normalmente. Aliás, essa, sem dúvidas, foi a nossa experiência mais positiva entre todos os dispositivos testados. 

Como assinar e quais os planos?

The Mandalorian
Série: The Mandalorian

Agora que você já possui todas as informações sobre o catálogo do Disney+ e já sabe como foi a nossa experiência de usuárias com a plataforma, chegou a hora de ter maiores informações sobre as assinaturas disponíveis. Então, vamos tentar fazer um panorama geral do que está sendo oferecido no momento. 

A primeira – e mais óbvia – forma de assinar é através do site oficial do streaming. Lá, você encontrará duas opções de plano: mensal (27,90) e anual (279,90). De saída, a gente precisa pontuar que o plano anual acaba saindo mais barato (algo como 23,90/mês) e, portanto, caso você pretenda dividir com alguém ou tenha o dinheiro disponível para fazer um único pagamento, é bastante vantajoso fazer uso dele. Em ambos os casos, são incluídos 7 dias de teste para o usuário. 

Entretanto, algumas semanas antes da chegada do  Disney+ no Brasil, a Globoplay anunciou que havia firmado uma parceria com o streaming para que o serviço oferecido por ela pudesse ser assinado em combo com o Disney+. Assim como para quem opta por assinar diretamente do site oficial, são oferecidos planos mensais (43,90) e anuais (454,80). 

Para assinar somente a Globoplay, atualmente, os custos mensais são de 22,90 e, caso você escolha o plano anual, de 238,90. Então, somando isso aos valores praticados pelo Disney+, uma assinatura por mês dos dois custaria 50,80 (o que nos deixa com um desconto de 6,90/mês) e na versão anual os custos seriam de 518,80 (o desconto é de 64 reais). Ou seja: as diferenças são significativas e os planos anuais acabam compensando mais em qualquer cenário. No caso do combo Globoplay + Disney+ ainda existe a chance de pagar em parcelas.Para assinar, você pode clicar aqui

SE VOCÊ GOSTOU DE “APRESENTANDO O DISNEY+”, LEIA TAMBÉM:

Apresentando a Darkflix

Especial Teoria da Pixar

Apresentando o Quibi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *