fbpx
Todas as vezes que

Todas as vezes que American Horror Story se baseou em casos reais (1)

Em 2011, logo quando American Horror Story estreou, era óbvio esperar que a série trouxesse histórias de crimes e terror, como o próprio título já sugere. Porém, talvez pouca gente esperasse casos reais e é esse o diferencial da série: se basear em histórias que deixaram as pessoas horrorizadas pelo teor de violência ou até mesmo pela crueldade.

Com uma primeira temporada centrada apenas na Murder House, título atribuído à temporada posteriormente (quando foi decidido que se trataria de uma antologia), os crimes retratados em alguns momentos aparecem de jeitos sutis, como o caso do bebê do casal Montgomery, que foi o início da onda de horrores na mansão, transformando-a no cenário de vários outros crimes.

Ao longo dos anos, American Horror Story tem tentado se reinventar e busca cada vez mais inspirações em crimes reais, alguns bem desconhecidos do grande público.

Em muitos momentos os nomes reais dos criminosos sequer são usados. Dessa forma, quem conhece os casos consegue perceber por detalhes o que está sendo falado. Em outros casos é explicitado quem foi capaz de cometer os horrores em questão, tudo depende da função que isso terá na narrativa da série.

Hoje, o Maratonista de Menu resolveu destacar alguns destes acontecimentos que fizeram parte da inspiração para os criadores de American Horror Story ao longo dos anos.

Temporada: Murder House (Globoplay e Claro Video)
Inspirado em: Massacre de Columbine

Logo na primeira temporada, que é cheia de referências ao mundo dos crimes e assassinatos, Tate (Evan Peters) se torna personagem central ao reviver um dos crimes mais chocantes da história dos Estados Unidos: o Massacre de Columbine. Em 1999, dois adolescentes entraram na escola Columbine High School e mataram vários colegas e professores do local

Ao longo da temporada Tate não cansa de mostrar que é extremamente perturbado (algo que vocês irão entender bem à frente na série, caso não tenham assistido, saibam que por mais que as temporadas sejam diferentes, elas possuem ligações). Assim, esse momento do personagem é o golpe final, no qual ele demonstra que além de perturbado, ele é ainda mais cruel do que se imagina.

Em um dos momentos do massacre fictício, Tate chega a fazer uma pergunta para uma garota, antes de iniciar o tiroteio, que foi a mesma pergunta feita por um dos criminosos de Columbine: “você acredita em Deus?”.

Ainda sobre Tate, a gente precisa destacar que ele tem um papel importantíssimo na série, visto que em outros momentos é responsável por perturbar a nova família moradora do local de várias formas distintas. Portanto, evite pular Murder House ou as cenas especificas desse personagem porque elas serão úteis no futuro.

Temporada: Hotel (Globoplay e Claro Video)
Inspirado em: Aileen Wournos, a primeira mulher serial killer

Antes de falar da personagem em questão, preciso deixar claro minha opinião a respeito de Hotel: eu não assistiria novamente. Mas, para quem não assistiu ainda a série completa, recomendo que veja por que em outras temporadas, o enredo será importante.

Dito isso, Aileen Wuornos aparece em um dos poucos momentos realmente bons da série. O momento em questão é basicamente uma reunião de assassinos em série, alguns até mesmo que não foram descobertos pelas autoridades, mas estão ali para marcar presença. 

A assassina ficou imortalizada pelo filme Monster: Desejo Assassino, que foi lançado em 2001, e mostrou toda a trajetória de crimes e horrores que foram cometidos por ela. Esse papel, inclusive, ficou por conta da excelente Charlize Theron, que ganhou um Oscar com essa atuação impecável.

A história de Aileen é marcada pelo assassinato de pelos menos 5 homens ao longo dos anos de 1989 a 1991. Wuornos, no entanto, afirmou que os crimes foram cometidos em legítima defesa, quando ela tentou se proteger dos homens em questão, que tentaram estuprá-la quando ela trabalhava como prostituta. 

Temporada: Murder House (Globoplay e Claro Vídeo)
Inspirado em: Dália Negra

Esse é um dos assassinatos mais famosos dos Estados Unidos, que se encontra sem solução até os dias de hoje. Trata-se da história de Elizabeth Short, uma aspirante a atriz de 23 anos que foi assassinada e teve o seu corpo abandonado em um terreno em Los Angeles, em 1947. Pouca coisa se sabe até os dias de hoje a respeito do crime. A polícia chegou a fazer uma estimativa de quando ela havia sido capturada, mas nunca descobriu o que se passou com Elizabeth. 

O corpo da jovem atriz foi encontrado em 15 de janeiro de 1947 e por mais que o crime tenha recebido uma grande atenção da mídia, o assassino nunca foi descoberto pela polícia. A história, no entanto, não parou por aí e ganhou notoriedade através de filmes, histórias e até mesmo jogos.

Um dos detalhes mais macabros do crime foi que Elizabeth foi encontrada nua e o seu corpo estava cortado ao meio, na altura do tronco. Existem outros detalhes ainda mais gráficos, que iremos poupar nesse momento.

A história foi vista em American Horror Story de forma bem parecida com a real, mas na série não é citado o nome Dália Negra, que foi dado a ela pela mídia na época. Além disso, a morte da jovem é atribuída aos moradores, vivos e mortos, da Mansão Montgomery. 

Temporada: Asylum (Globoplay e Claro Video)
Inspirado em: Josef Mengele, médico nazista da Segunda Guerra Mundial

Esse nome com certeza não é estranho para vocês. Josef Mengele foi um dos médicos nazistas mais famosos da história e claramente isso não é uma ‘vantagem’. Isso por que o médico em questão foi responsável pelas maiores atrocidades que foram cometidas nessa época, que já era por si só uma atrocidade.

É possível dizer que Mengele era responsável por conduzir experiências com humanos nos campos de concentração, sem qualquer pudor de que o que ele estava realizando era totalmente desumano e cruel. Após a guerra, o médico fugiu para América Latina e passou uma boa parte de sua vida na Argentina e no Brasil. Ele acabou morrendo afogado em Bertioga, em 1979, e só aí a sua identidade foi descoberta. 

Em American Horror Story, os horrores cometidos por Mengele são explorados através do médico Arthur Arden (James Cromwell), que pratica as suas experiências nos moradores da Instituição Mental Briarcliff, onde ele tem total liberdade para cometer suas crueldades, “pelo bem da ciência”.

Ao longo da trama é descoberto que Arden na realidade, se chama Hans Gruper, um médico que realizava experimentos em campos de concentração nazista. Mais claro impossível, né? Todos os horrores do instituto ficam por conta do médico sádico, o que faz da temporada uma das mais tensas da série.

Temporada: Hotel (Globoplay e Claro Video)
Inspirado em: Condessa sangrenta

O que falamos logo em cima a respeito de Hotel ainda está valendo, mas não poderíamos deixar passar esta personagem, que era pra ser o grande destaque da série.

Infelizmente para mim é “era”, no passado mesmo. a temporada foi uma das mais esquecíveis de American Horror Story e se debruçou totalmente no sucesso que almejava com Lady Gaga como personagem central. Não deu certo, mas tivemos looks lindos da cantora, isso é fato.

Em Hotel a personagem de Lady Gaga se baseia em Elizabeth Bathory, uma nobre húngara que tinha o hábito de maltratar seus empregados de forma totalmente desumana. Os atos de Bathory envolviam arrancar pele, amassar a cabeça e costurar a boca de seus empregados e acompanhar os mesmos morrendo de fome.

Além disso, ela acreditava que o sangue de suas vítimas fazia com que ela se sentisse mais jovem. Para quem assistiu sabe que Lady Gaga faz o mesmo na série, junto com seu marido, Donovan, e com as crianças que ela sequestra. Mais tarde será explicado o motivo de tudo isso e como ela chegou onde chegou, se tornando a Condessa Sangrenta. 

Temporada: Coven (Globoplay e Claro Video)
Inspirado em: Dalphine LaLaurie

Assim como a personagem de Lady Gaga, essa história também é inspirada em algo que aconteceu há muito tempo atrás e retrata a vida da escravagista Madame LaLaurie, esposa de um médico francês, que não levantava qualquer suspeita a respeito de seus hábitos cruéis. Algumas pessoas falavam até mesmo que ela tratava seus escravos muito bem.

No entanto, a maldade da mesma foi descoberta após um incêndio na casa, que dizem ter sido provocado por uma escrava para expor tudo que acontecia dentro do local e todas as crueldades da qual a nobre era capaz de cometer sem gerar suspeitas.

Enquanto o grupo de socorro tentava ajudar no incêndio, cenas absurdas eram encontradas na casa, como uma escrava sendo queimada viva acorrentada ao fogão, mas as maiores crueldades foram encontradas na senzala, onde escravos foram achados com a boca e os olhos costurados e alguns sem os membros. 

Em American Horror Story a história de Madame LaLaurie foi seguida à risca por Kathy Bates, que viveu a cruel Dalphine LaLaurie e mostrou todo o seu talento. É claro que a história, por ser baseada, toma liberdades que talvez não estejam nos registros sobre a escravagista cruel, mas levando-se em consideração o que se tem de história da mesma, a série retratou muito bem as maldades dela. 

Temporada: Murder House (Globoplay e Claro Video)
Inspirado em: Richard Speck

Mais uma vez Murder House traz uma história muito conhecida do público em geral, que por mais que não saiba o nome do autor, sabe do acontecimento.

O assassino em massa Richard Speck foi o responsável por um dos crimes mais horríveis da história, após invadir uma república de enfermeiras onde fez oito vítimas. As mulheres que eram atacadas por Richard Speck primeiramente eram amarradas e posteriormente ele as matava com facadas e as violentava. 

Na primeira temporada da série, o caso em questão serviu como base para uma história semelhante, na qual um homem decide atacar duas estudantes de enfermagem nos anos 1960, e faz com elas o mesmo que o criminoso da vida real fazia com suas vítimas. Na vida real Speck foi encontrado por suas digitais no local do crime e foi sentenciado à cadeira elétrica em julho de 1967 por assassinato em primeiro grau.

LEIA TAMBÉM:

50 filmes baseados em fatos reais (1)

50 filmes baseados em fatos reais (2)

20 séries de mistério sobrenatural no Prime Video e na Globoplay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *