fbpx
Três É Demais

Três É Demais: Os primeiros originais

A primeira Três é Demais do Maratonista de Menu também terá estreias como o seu tema central. Para essa coluna, decidimos falar sobre as primeiras produções originais dos principais serviços de streaming utilizados pelo público brasileiro atualmente.

O motivo para a escolha desse trio foi que existem atualmente dezenas de plataformas desse tipo, mas várias ainda não são populares do país ou então o seu conteúdo tem passagem por algum canal de TV antes de chegar no streaming, como é o caso da HBO Go e do Starz Play, por exemplo.

Assim, os serviços escolhidos foram a Netflix, o Prime Video e a Globoplay. Os primeiros originais de cada uma dessas plataformas serão comentados como forma de relembrar onde tudo começou, já que atualmente cada uma delas possui um número significativo de séries e é fácil se esquecer dos primeiros lançamentos.

Confira!

Se existe um streaming que realmente não precisa ser apresentado ao público do Brasil, é a Netflix. Ao longo dos anos, a empresa se popularizou bastante do país e se tornou a primeira do segmento a conseguir destaque com produções próprias.

Outro fator que contribuiu para que a Netflix se tornasse querida pelos brasileiros foi o comportamento da plataforma nas redes sociais. Além disso, aforma como ela se comunicava com os seus usuários, sempre cheia de simpatia, acabou ajudando na popularidade e, sem dúvidas, contribuiu para o seu crescimento.

Sobre a produção de originais, é possível afirmar que ela teve início no streaming em 2013. Ou seja, são sete anos construindo o catálogo. Assim, fica óbvio que a Netflix é uma gigante quando comparadas às demais plataformas, que estão começando agora a dar mais importância para isso ou ainda estão encontrando o tom para os seus produtos do tipo.

O primeiro original produzido pelo streaming foi o drama político House of Cards que, inclusive, fez um grande sucesso em seu lançamento e se manteve em alta quase até a sua última temporada – mas todo mundo sabe o que aconteceu pouco antes das gravações do encerramento, certo?

Desde então, a Netflix não parou mais e, atualmente, conta com mais de 126 títulos no seu acervo de originais. Eles, por sua vez, são falados em diversos idiomas e apresentam diversidade de gêneros e temáticas, compondo um catálogo e tanto.

É possível destacar que com o seu próprio conteúdo, a empresa conseguiu ganhar espaço em premiações e apresentou séries e filmes de qualidade comparável a de canais de TV já consolidados.

Só para ficar em exemplos recentes, no Emmy de 2019, a Netflix recebeu várias indicações e acabou levando nas categorias de Melhor Ator em Minissérie ou Filme Para TV (Jharrel Jerome, de Olhos Que Condenam) e também Melhor Filme Para TV (Black Mirror – Bandersnatch). Ainda nessa mesma premiação, o streaming conseguiu vencer em Melhor Atriz Coadjuvante em Série de Drama (Julia Garner, Ozark) e Melhor Direção em Série de Drama (Ozark).

Assim como a Netflix, o Prime Video também produz séries desde 2013. Ainda nesse ano, a plataforma colocou no ar Betas, o seu primeiro original. Porém, essa série não está disponível no catálogo brasileiro, o que é uma pena, já que gostaria de ter dado uma olhada antes de fazer essa lista.

Assim, como Betas não faz parte do acervo do Brasil, procuramos pelas séries mais antigas que conseguimos encontrar e tivemos um empate entre Mozart In The Jungle e Transparent, ambas de 2014.

Sobre Mozart é possível destacar que ela trata de temas sérios, como sexo e drogas. Esses temas, por sua vez, possuem a música clássica como pano de fundo e revelam detalhes sobre os bastidores de uma sinfonia.

A história da série foi baseada no livro Mozart na Selva: Sexo Drogas e Música, da oboísta Blair Tindall. Trata-se de uma obra que narra as memórias da musicista em Nova York durante o período em que ela participou de vários shows de alto escalão.

Transparent, por sua vez, acompanha a vida de Mort (Jeffrey Tambor), que decide assumir a sua identidade de gênero para os seus filhos e passa a viver como Moira. A série é classificada como uma comédia, mas possui alguns momentos de partir o coração.

Além dos “primeiros originais”, o Prime Video conta atualmente com outras 29 produções originais no catálogo. Ainda que o número pareça baixo, o streaming vem demonstrando que não está para brincadeira e tem conquistado destaque.

Para ilustrar isso, é possível citar o sucesso gigante de Fleabag, que ganhou vários prêmios para o Prime, como o Globo de Ouro de Melhor Atriz de Comédia (Phoebe Waller-Bridge). Outras séries que conseguiram se destacar foram The Boys, Good Omens e The Marvelous Mrs Maisel.

Para várias pessoas, a Globoplay ainda é um bicho de sete cabeças. Entretanto, o objetivo do Maratonista de Menu é mudar essa imagem e deixar claro que não só a plataforma possui um conteúdo de qualidade, como um catálogo amplo – você pode ler mais detalhes sobre isso na coluna Continue Assistindo?.

Sobre a produção de originais, é possível destacar que ela começou somente no ano de 2018, ainda que a Globoplay tenha surgido em 2015. E desde o momento em que o streaming lançou o seu primeiro original, os investimentos nisso parecem ter se tornado uma prioridade – você também pode saber mais sobre isso clicando aqui.

A primeira produção original da Globoplay foi Assédio, lançada em setembro de 2018. A partir daí, o serviço adentrou um universo que seus concorrentes diretos já dominavam e demonstrou competência, entregando várias séries interessantes para o público.

Em linhas gerais, Assédio trata de um caso real sobre uma rede de mulheres que se une para denunciar os abusos sexuais de um médico bem sucedido e renomado, Roger Sadala (Antônio Caloni).

Deixando claro que alguns elementos da história foram ficcionalizados, a série tem início quando uma das vítimas do “Doutor Vida” decide romper o silêncio e contar todas as agressões que sofreu nas mãos do médico. A partir disso, outras vítimas surgem e vão se unindo à primeira, com a ajuda de uma jornalista obstinada que está investigando o caso.

Atualmente, o catálogo da Globoplay conta com 13 títulos originais. Ainda que o número pareça pequeno, é necessário levar em consideração que os investimentos começaram tardiamente, mas estão sendo constantes e ajudando na ampliação do acervo, o que torna a plataforma uma concorrente direta dos serviços maiores e bastante forte no Brasil.

Leia também:

10 séries que se despedem em 2020

Continue Assistindo? Globoplay

20 séries imperdíveis em 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *